O Sexto Sentido

Da mesma forma que cada sentido pode experimentar uma gama bastante ampla de sensações, percepções e funções, com o sexto sentido dá-se o mesmo.

O Universo nos dotou de 6 sentidos para podermos caminhar e crescer na Vida: aqueles cinco que aprendemos na escola (audição, tato, paladar, visão e olfato) e o sexto – chamado de mediunidade, intuição, paranormalidade, sensitividade e percepção extra-sensorial, que nossa cultura (e sua religião dominante) suprimiu.

Se a perspectiva milenar da maior parte da Humanidade – agora amplamente corroborada pela Física Quântica – é de que a Existência é multidimensional, a função do sexto sentido é possibilitar-nos o acesso consciente a esta vida multidimensional. Da mesma forma que cada sentido pode experimentar uma gama bastante ampla de sensações, percepções e funções, com o sexto sentido dá-se o mesmo.

Já dissemos anteriormente que Allan Kardec e o Espiritismo, a Umbanda brasileira, o Candomblé, e os xamãs e pajés, utilizam de diferentes formas – ou com diferentes “especializações“ – o sexto sentido.SLXLM

A canalização é uma outra forma ainda de se utilizar o sexto sentido. Quando, por exemplo, estamos fazendo Fogo Sagrado, captando conteúdos psico-emocionais (corpos energéticos), o terapeuta sensitivo está canalizando – e a canalização é sempre uma atividade absolutamente consciente.

A mediunização – utilização do sexto sentido para interagir com a dimensão dos espíritos desencarnados – que pode ser consciente ou inconsciente, atua em áreas do cérebro e do corpo de energia, diferentes de onde atua a canalização. São diferentes níveis e funções.
O sexto-sentido não é um dom, não é um privilégio ou capacidade de apenas algumas pessoas especiais.
Também não é um poder sobrenatural (como são os siddhis do Yoga). Ao contrário, é um sentido natural que está mais ou menos adormecido em nós e em nossa cultura (diferente do que ocorre nas culturas orientais e xamânicas).

Allan Kardec já havia dito isto em relação à mediunidade: todos somos médiuns.
O que poderia ser considerado um “dom“ (mas que na verdade é o resultado evolutivo que vem trazido de vidas passadas) é a super-utilização do sexto sentido.
Por exemplo, com relação à vidência. Existem dois tipos de vidência: a vidência de olhos abertos e a vidência na tela mental (que pode ser de olhos abertos ou fechados).
Qualquer um, mediante treinamento correto, pode (re)acordar a vidência na tela mental. Qualquer um pode aprender facilmente a acessar outras dimensões através da tela mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *