A consciência do sagrado feminino

Houve um tempo, em que todas as mulheres eram sagradas. Em que eram vistas como Deusas, como senhoras de seu próprio destino. Houve um tempo, em que o corpo era sagrado, em que o sexo era uma prece. Em que homens e mulheres respeitavam-se e reverenciavam-se. Houve um tempo em que a mulher era feiticeira, faceira, tecelã, curandeira, parteira.

A mulher banhava-se na natureza, perfumava-se com jasmim. Andava de pés descalços, corria pela mata. Usava compridas saias, rodadas, coloridas, leves. Dançava para ela, dançava para a vida, dançava para seduzir, dançava para fertilizar. Sua voz era como o canto da mais bela ave. Sua beleza era fascinante, encantadora. Era aos poetas a inspiração e aos músicos, canção. A mulher era rendeira, cozinheira, mãe, sagrada, admirada. De joias e pedrarias era adornada e, da natureza, sua maquiagem retirava.

Onde está esta mulher? Em que fase da história ou período ela perdeu-se? Onde devemos procurá-la? Na verdade, esta mulher-sagrada ainda existe. Está imersa em outras formas, em outras faces, em outros costumes. Mas se priva, se poda, se adapta, se escraviza… E não lembra do que já foi em sua totalidade.

Hoje esta mulher é empresária, médica, advogada, policial, recepcionista, dona-de-casa, política, enfermeira, escritora, estilista. Ela ainda está aqui, mas não lembra quem realmente é. Perdeu a memória. Esqueceu-se de sua sacralidade, de sua divindade, de sua superioridade.

Mulher! Coloca tua saia rodada, penteia-se com o orvalho, tira o sapato dos pés. Permita-se bailar com o vento, satisfazer seus desejos, impor sua vontade. Permita-se amar, realizar, cantar. Permita-se sentir bela, amada, desejada, sentir prazer. Permita-se fazer aquilo pelo qual tua alma anseia. Permita-se honrar a Deusa, ao Deus, à natureza. Permita-se viver a tua vida, e ser a senhora absoluta do teu destino.

Mulher, dentro de ti há tantas outras, que tu ignora totalmente. Será você fértil doce e maternal como Deméter? Ou vingativa como as três Fúrias? Quem sabe arrebatadora e feroz, como as Harpias. Talvez seja feiticeira, sábia e misteriosa como Hécate. Ou soberana e dotada de magia como Ísis, mãe dos egípcios. Um tanto implacável, forte e destemida como Kali. Encantadora e misteriosa como as Nereidas. Quem sabe é curiosas como Pandora. Confiável e mensageira, como Íris. Ou justa como Têmis. Talvez seja sensual, impulsiva e totalmente movida pela paixão, como Afrodite. Ou seja, selvagem como Ártemis. Pode ser que seja repleta de cores e amores como Eros. Ou então maléfica como Éris. Mas… Possivelmente, sejas todas elas juntas!

Mulher, vem! Resgata o teu papel, o teu feminino sagrado, tua ancestralidade. Não tenha medo de seguir a luz, de se entregar ao Sol. Muito menos de mergulhar nas trevas do submundo, das fogueiras, dos encantamentos. Prove de todos os reinos e sabores, permita-se viver intensamente cada instante. Siga seus instintos e extintos. Seja simplesmente você.” (Autor desconhecido)

​​

O chamado sagrado feminino são os saberes a cerca do poder feminino de geração, nutrição e manutenção, como um verdadeiro arquétipo da Deusa, a Shakti. É descobrir seu próprio poder pessoal e tornar-se dona de si. Se não através do feminismo, o despertar (a descoberta) para o sagrado feminino chega através de alguma prática espiritual como o paganismo ou a bruxaria. São mulheres que estudam os saberes do feminino e os propagam, junto também do culto à Deusa.

As formas de cura do sagrado feminino consiste na busca pessoal da mulher pelo seu divino interior, encontrar-se com sua Deusa e conectar-se com seu verdadeiro ser, conectar-se com a sua mulher selvagem. O despertar para o sagrado feminino muitas vezes vem acompanhada (ou guiada) pela busca espiritual, pela bruxaria, outras através do feminismo que em busca do empoderamento (dar poder) de volta às mulheres estudam os saberes femininos. O culto à Deusa segue cada vez maior em todo o mundo graças ao feminismo e a algumas bruxas que não desistem de repassarem seus saberes e ajudam mulheres a escutar esse chamado para o despertar. Como por exemplo, hoje em dia temos a cada lua cheia eventos como a Bênção do Útero organizado pela Miranda Grey que une mulheres de todo o mundo para uma meditação (solo ou grupal) para curar o nosso útero, nossas feridas inconscientes, curar-nos de toda a agressão que sofremos em todo o mundo, todas somos uma só. Nosso útero armazena muita energia e através dessa meditação mundial buscamos libertar e curar toda a energia armazenada. As formas de cura do sagrado feminino consiste na busca pessoal da mulher pelo seu divino interior, encontrar-se com sua Deusa e conectar-se com seu verdadeiro ser, conectar-se com a sua mulher selvagem. O que é uma mulher selvagem? é a nossa alma, a nossa base, toda a nossa constituição, a nossa verdadeira natureza. Todas temos nossa mulher selvagem dentro de nós. Em algumas mulheres mais adormecidas, em outras desabrochando para o despertar. A busca é pessoal pois é um verdadeiro chamado que surge do âmago feminino. O feminino está voltando para a boca de todos. É a consciência ambiental, é a proteção animal, é a luta contra a destruição do meio ambiente e seus seres vivos – incluindo os seres humanos-, é a luta das mulheres pelos seus direitos civis. É a busca pelo equilíbrio, bem estar e saúde de todos pois é isso o que o feminino faz: nutre Nutre nossa força de vontade sempre que caímos pelos mais diversos motivos. Nutre a Terra, gera e nutre a vida.

​​

A imagem da mulher amamentando não só nos diz que ela é uma mãe mas diz também que ela nutre, dá a saúde, mantém a vida. Se essa é a primeira vez que você lê sobre o sagrado feminino pode estar perguntando-se quem é a Deusa, afinal. A Deusa esta em todas as religiões e portanto é multicultural e nem sempre ela é uma Deusa (como no caso de Maria mãe de Jesus que praticamente tem um papel de santa-auxiliar-intermediadora), Ela é Hécate, Ela é Gaya, Ela é Maria, Ela é Kali, Ela é a Shakti. Ela é a mãe bondosa que alimenta e acolhe sua criação e também é a mãe destruidora de ilusões, de egoísmo, Ela nos acorda para que possamos enxergar a realidade divina. A Shakti não existe sem Shiva e Shiva não existe sem Shakti. Eles não trabalham separados, eles não EXISTEM separados.

​​

O sagrado feminino e o sagrado masculino andam juntos como o Ying e Yang. Sagrado feminino e sagrado masculino não é homem e mulher, são potências enérgicas que juntas são uma só. O sagrado feminino não é exclusivo para as mulheres assim como o sagrado masculino não é exclusivo para os homens. Os homens (cis, bi, trans, gay) podem também aprofundarem-se em seu sagrado feminino se quiserem assim como o seu sagrado masculino e o mesmo serve para as mulheres se elas quiserem despertar e aprofundarem-se seu sagrado masculino podem normalmente. Todos nós homens e mulheres (independente da sua orientação sexual) temos Shiva e Shakti. Nós somos o arquétipo da Deusa mãe e do Deus Pai e ambos são um. Uma mulher que passa a enxergar-se como uma verdadeira manifestação da Deusa Mãe Geradora e nutridora e percebe em si os mesmos ciclos que os da Terra, e sente toda a energia que flui junto com esse despertar que alimenta nossa mente criativa, nosso corpo e nossa psique. A confiança dessa mulher vai mudar, a forma dela enxergar o mundo e a postura dela diante da vida e das pessoas irá mudar. Ela terá despertado para a grande força ancestral do sagrado feminino. É isso que é o sagrado feminino: o despertar da essência, da força, curar sua história ancestral esquecida – ou sofrida-, é aceitar os ciclos naturais dessa Terra e aproveitar com sabedoria as passagens como a menstruação, gestação, menarca, menopausa, até a morte. Conecte-se com sua intuição ( acredite nela!!), acredite no seu poder de cura, de conexão e interação com os Deuses, quebre os padrões do nosso atual sistema capitalista e patriarcal, seja cíclica como o tempo e vá em busca da cura pessoal, grupal e planetária. – O que é um circulo de mulheres “Círculos de Mulheres podem ser vistos como um movimento evolucionário e revolucionário que está escondido por trás de uma imagem aparente: parece ser apenas um grupo de mulheres reunidas, mas cada mulher e cada Círculo está contribuindo para algo muito maior.” Jean Shinoda Bolen em O Milionésimo Círculo É a união de almas com o mesmo objetivo, com a mesma busca : o sagrado feminino, a cura,a integração e contemplação dos ciclos femininos, a conexão espiritual. Mulheres reúnem-se para dançar e cantar para a Deusa todas juntas. Quem é a Deusa aqui? É a mesma abordada anteriormente, é a Deusa antiga e Ela é multicultural então esses encontros de mulheres não são obrigatoriamente pagãos. Mulheres pagãs e cristãs reúnem-se para despertarem e curarem juntas seu feminino sagrado. E juntas celebram a incrível conexão com a Deusa Mãe.

​​

Ritual para Lua Cheia com a Deusa Durga – Recebendo força, amor e poder

A lua Cheia é a fase da lua com um imenso poder e por isso também devemos ter cuidado com sua força pois ela pode ser prejudicial nos levando a confusões e brigas, nesse período nada de querer resolver as coisas de cabeça quente, acalme-se primeiro. 

Mas além disso, essa época é propícia para feitiços de transformações, aumento da habilidade psíquica, feitiços de fertilidade e invocação às Deusas Lunares. É o tempo de força, amor e poder. 

E nesse ritual despertaremos esse poder com a Deusa Durga para que Ela nos auxilie na transformação e aniquilação do nosso ego e nos guie amorosamente nessa busca do encontro da alma com nossa origem. 

A Deusa Durga é uma Deusa protetora e guerreira, Seu poder faz com que todos os reinos da natureza cumpram seu dharma, a função para a qual foram criados e nos liberta de karmas (ações) negativos, a Deusa Durga guia aqueles que se propõem honestamente a superar seus defeitos e preconceitos. 

Durga protege a humanidade do mal, da miséria e das doenças, destruindo energias negativas (forças maléficas) como egoísmo, egoísmo, ciúmes, intolerância, inveja, ira, ódio, dissimulação, disputa e outras manifestações do ego.

A Mãe Durga é iluminada e resplandecente como a Lua, Ela monta um leão ou um tigre (significando domínio sobre o ego inferior e as emoções instintivas, poderosas e selvagens), carrega em suas mãos várias armas (significando sua prontidão de guerreira para destruir o mal a qualquer momento), e possui o brilho intenso do fogo divino destruidor e transformador. Durga tem o poder de revelar onde a divindade interna se oculta e propiciar o encontro da alma com sua origem cósmico-estelar.

Para esse ritual:

  • Vela amarela ou dourada
  • Incenso de Lavanda
  • Imagem de Durga
  • Mantra de Durga (vídeo ou mp3)
  • Japamala

 Em um lugar calmo e onde você não seja perturbado prepare o ambiente de forma confortável e agradável. 

Acenda a vela e o incenso, coloque o mantra de Durga para tocar baixinho acomode-se como lhe for mais confortável e prepare-se para a rendição, para aproximar-se d´Ela com amor, prepare-se para abrir o seu coração. 

Ela é a mãe do universo e o amor nos conecta, nos aproximamos d’Ela através do amor, a mãe Durga trabalha o mundo material então revele o seu coração para Ela com franqueza e humildade, seja a criança simples que você sempre foi. 

Mate sem piedade os inimigos como o egoísmo e a desonestidade, Ela é a Deusa destruidora de demônios, então faça uma total, sem reserva e dedicada auto-rendição para Ela, permita que Ela destrua todos os seus demônios internos.

Meditando leve-se para o templo da Deusa e ajoelhe-se diante dela, peça-lhe força e coragem para tomar suas decisões, para resolver situações complicadas (familiares ou profissionais), para realizar as mudanças necessárias e cortar todo o mal. 

Em seguida veja a Deusa lhe entregando a sua força por meio de suas armas e receba as bênçãos de suas dez mãos, concentre essa força em sua mente e em seu coração. Veja a Deusa aniquilando seus demônios, fraquezas, medos e assombros.

Celebre sua vitória dançando e cantando com a Deusa, vencendo os monstros do medo e libertando-se das garras da tristeza, depressão, dos sentimentos ruins que não te pertencem. 

Peça para a Deusa ajudar a libertar-te da raiva, da dor, do medo, do ego, da ignorância. 

Agradeça à Deusa por todas as bênçãos concedidas e pela oportunidade e privilégio desse momento especial de conexão. 

Vá distanciando-se da Deusa lentamente e enquanto distancia-se inicie a entoação do mantra acompanhando o mantra que foi colocado para tocar no início, pegue sua japamala e entoe o mantra de Durga por 108 vezes (ou múltiplos de 8). 

(É indicado que entoe-se o mantra acompanhando um mantra que seja reproduzido em mp3 ou vídeo para que a pronúncia correta seja aprendida, porém é opcional que escute o mantra durante o ritual ou entoação do mantra, você pode fazer tudo em silêncio também, a escolha é sua)

Encerrando a entoação do mantra, agradeça e despeça-se da Deusa.

Clique aqui se desejar sugestão de mantra para esse ritual.

Jay Durga Jay Jay

Vitória à Divina Mãe!

O arquétipo da sombra, o lado sombrio da sua alma

Segundo a psicologia analítica de Carl Jung, o arquétipo da sombra representa “o lado sombrio” de sua personalidade. É um submundo feroz da alma onde você armazena a parte mais primitiva de si mesmo. Há o egoísmo, os instintos oprimidos e o eu “não aprovado” que rejeita sua mente consciente. Esta é a parte que está enterrada nas camadas mais profundas do seu ser. A sombra é o arquétipo do lado negro da sua alma.

Você provavelmente já ouviu falar sobre esse conceito no passado. A ideia do arquétipo da sombra é um conceito familiar. Os psicólogos ainda usam isso para falar sobre confronto. Refere-se àquela percepção de um conflito interno que você às vezes experimenta quando está frustrado, com medo, inseguro ou zangado.

“Uma pessoa não é iluminada por imaginar figuras de luz, mas por estar ciente da escuridão.” -Carl Jung-

Mas você não deve esquecer que a ideia que Jung descreveu em seu trabalho sobre os arquétipos já era histórica e culturalmente presente em nossa sociedade. O conceito de sombra ou lado sombrio da alma é uma dúplice comum. Até inspirou Robert Louis Stevenson a escrever seu romance clássico, O Estranho Caso do Dr. Jekyll e Mr. Hyde. Stevenson, é claro, escreveu este romance antes mesmo de Jung desenvolver sua teoria sobre o arquétipo da sombra.

Tudo o que consideramos em um determinado momento como “ruim” devido à nossa educação e aos padrões morais da nossa sociedade se transforma na nossa sombra. No entanto, não é aconselhável ver todas essas dinâmicas internas como experiências reprováveis ou perigosas, até o ponto de pensar que todos nós carregamos um Hyde que quer se manifestar.

O próprio Jung explicou que existem diferentes tipos de sombras e que uma maneira de alcançar o bem-estar, a cura e a liberdade pessoal é torná-las conscientes e enfrentando todas elas.

O arquétipo da sombra, o lado negro dos seres humanos
O arquétipo da sombra está intimamente ligado ao conceito de “subconsciente” de Freud. Mas possui aspectos únicos que o distinguem de maneira significativa dessa ideia. Esses aspectos únicos também enriquecem o conceito de Jung. Não podemos esquecer que o que começou como um idílio intelectual entre Freud e Jung acabou esfriando, até o ponto de Jung dizer que o pai da psicanálise era “uma figura trágica, um grande homem, mas uma pessoa com a qual ele não concordava”.

Jung desenvolveu seu próprio método, a psicologia analítica. Ele rejeitou o banco e a relação assimétrica entre o terapeuta e o paciente. Jung era a favor de uma terapia baseada na conversa. Ele acreditava que a terapia deveria penetrar na estrutura da mente e no inconsciente onde os arquétipos vagueiam. De todos os arquétipos, o arquétipo da sombra é, sem dúvida, o arquétipo com o valor mais terapêutico. Vamos aprender as características deste arquétipo no restante deste artigo …

A sombra, uma presença conhecida mas oprimida
– Jung emprestou o termo “sombra” de Friedrich Nietzsche.
– Essa ideia representa a personalidade oculta que todo ser humano possui. Do lado de fora, a maioria de nós (e nós também acreditamos) são pessoas boas e amigáveis. Mas algumas partes de nós são suprimidas. Esses são instintos herdados que às vezes escondem violência, raiva e ódio.
– O arquétipo da sombra não existe apenas nos indivíduos. Também grupos de pessoas (seitas, grupos religiosos, partidos políticos) podem ter um arquétipo da sombra. Em algum momento, esses grupos podem mostrar seu lado sombrio e justificar fatos violentos contra a humanidade.
– Quanto mais reprimimos a sombra, mais destrutiva, traiçoeira e perigosa ela se torna. De acordo com Jung, ela pode “projetar-se”. Ocorre então na forma de uma neurose ou psicose .
– Jung também identificou duas tipologias dentro do arquétipo da sombra. A primeira é a sombra pessoal. Todos nós temos isso. Inclui todas as nossas pequenas frustrações, medos, egoísmo e negatividade comum. O outro tipo é a sombra impessoal. Ela contém a essência mais arquetípica do mal e acompanha o genocídio, o assassinato implacável e assim por diante.

Jung sobre como lidar com o lado negro da sua alma
“Infelizmente, não há dúvida de que o homem, como um todo, é menos bom do que pensa ou quer ser de si mesmo. Todo mundo carrega uma sombra. E quanto menos é expresso na vida consciente do indivíduo, mais escura e pesada ela é. Se um sentimento de inferioridade é consciente, há sempre uma chance de melhorá-lo. Além disso, está em contato constante com outros interesses, de modo que está constantemente sujeito a mudanças. Mas se for suprimido e separado da consciência, nunca é corrigido. Além disso, provavelmente entrará em erupção em um momento inconsciente. Em qualquer caso, é um problema inconsciente que bloqueia as tentativas mais recentes. ”

-Carl Jung-

Como posso enfrentar minha própria sombra?
Você pode pensar que a teoria do arquétipo da sombra é interessante. Em sentido metafórico, tem seu charme e certa mística. Porque nesta imagem vemos o reflexo do que é tabu de uma maneira clássica. Representa o mal e o lado sombrio da personalidade humana que sempre desperta nosso interesse. Mas há alguma coisa nessa teoria que possamos aplicar em nossas vidas diárias?

A resposta é “sim”. Jung nos lembra em seus escritos, em livros como O Arquétipo e o Inconsciente Coletivo. Ele diz que é nosso trabalho na vida nos aceitar plenamente e integrar nossa “sombra” em nossa personalidade. Desta forma, podemos estar cientes disso e trabalhar face a face com ela. Ignorar e permitir que permaneça no inconsciente pode nos privar do equilíbrio e da chance de sermos felizes.

Também não devemos esquecer quais aspectos esse conceito significa que chamamos de “sombra”. Aqui encontramos nossos medos, nossos traumas passados, as decepções que nos envenenam e os sonhos que nunca se realizaram como resultado de nossa própria indecisão. Se escondermos todos esses demônios interiores, eles se tornarão mais violentos. Se os silenciarmos, eles eventualmente nos controlarão. Eles vão retratar uma imagem de nós mesmos que não gostamos ou discordamos.

Devemos, portanto, lembrar que nosso crescimento pessoal e nosso bem-estar psicológico sempre dependerão da nossa capacidade de trazer essas sombras à luz. Assim que fazemos esse esforço corajoso, o delicado, mas valioso trabalho de cura começa. Só então poderemos encontrar paz e bem-estar.

Extraído e traduzido de verkenjegeest

Autossabotagem

Vejamos se fica claro o que é autossabotagem.

Toda vez que a pessoa faz algo que atrapalha, atrasa ou impede seu crescimento pessoal em todas as áreas da sua vida é autossabotagem.
 Toda vez que a pessoa omite de fazer algo que contribuirá para sua evolução é autossabotagem.

Toda vez que a pessoa não faz o que aumentaria seu crescimento pessoal é autossabotagem.O crescimento pessoal ou evolução é um imperativo do Universo. É impossível fugir dele. Quer gostemos ou não, é uma necessidade. Portanto, é inteligente fazer da necessidade uma virtude. Isto é, trabalhar diuturnamente para crescer em todos os aspectos. Isto significa melhorar e crescer em todas as áreas.

É fácil perceber se você se sabota ou não. Toda vez que há um crescimento algo acontece e ele é paralisado. Pode ser ficar doente, bater o carro, ser assaltado, perder o emprego, etc. Alguma coisa acontece e não passa de um determinado ponto. Sempre é aquele ponto. Pode ser um salário, um cargo, um nível de clientes, um faturamento, etc. Existe uma fronteira que é o limite até onde a pessoa chega. Isso se repete N vezes pela vida afora. Se essa programação não for apagada isso permanecerá por toda a vida.

  • Quando só se lê livros fáceis é autossabotagem.
  • Quando não se atende bem aos clientes é autossabotagem.
  • Quando não se visita mais um cliente é autossabotagem.
  • Quando se tem preguiça é autossabotagem.
  • Quando não se quer ganhar dinheiro é autossabotagem.
  • Quando não se luta para melhorar de vida é auto-sabotagem.
  • Quando não se contribui para a sociedade melhorar é autossabotagem.
  • Quando não se luta contra as injustiças é autossabotagem.
  • Quando não se luta contra a ignorância é autossabotagem.
  • Quando não se protege os fracos e indefesos é autossabotagem.
  • Quando se opta por divertimentos fúteis é autossabotagem.
  • Quando não dá tudo que se tem no trabalho é autossabotagem.
  • Quando se mede o bem que se faz é autossabotagem.
  • Quando se tem medo do que a torcida irá pensar é autossabotagem.
  • Quando se tem apego é autossabotagem.
  • Quando se é materialista é autossabotagem.
  • Quando não se tem interesse em conhecer a realidade última do universo é autossabotagem.
  • Quando não se quer estudar é autossabotagem.
  • Quando não se quer trabalhar é autossabotagem.
  • Quando não se está em fluxo com o Criador é autossabotagem.
  • Quando se faz distinção de cor, raça, sexo, etc. é autossabotagem.
  • Etc.

Entenderam o conceito?

Por exemplo: estou numa cafeteria e coloco o dinheiro em cima do balcão para pagar um café’. A atendente está a três metros de distância andando de um lado para outro. Não na minha direção. Espero minutos e ela não vem atender. Pego o dinheiro e vou embora. O que vocês acham que foi a atitude dela? Num outro dia no mesmo café estou com um cliente e pretendemos tomar café. Foi outra experiência interessante. O cliente não sabia do caso acima. Neste dia tinha três funcionários no café andando de um lado para outro e neste caso a um metro de nós. Ninguém veio atender. O cliente teve de chamar um deles. Com certeza essas pessoas devem reclamar da vida e do salário. Será que elas percebem que estão sabotando a possibilidade de melhorarem de vida?

Num outro café ouço: “trabalhar no domingo, ninguém merece.”. Parece o muro de lamentações. Todos revoltados porque irão trabalhar. E moram na periferia de São Paulo. Como será que essas pessoas enxergam o trabalho? Adivinhem: uma maldição. (Vide o Genesis).
 No caso da Ressonância Harmônica isso é muito claro. Desde o primeiro segundo, a onda penetra no cérebro limpando tudo que é negativo: crenças, paradigma, traumas, bloqueios, tabus, preconceitos, zona de conforto, etc.. Entra uma onda dourada pelas sinapses e micro túbulos (15 nanômetros). Se o ego da pessoa deixar (isto é, ela mesma) isso poderá ser mudado em segundos. Normalmente leva meses porque a pessoa atrasa o processo. Pode ser extremamente rápido. E quanto antes houver essa limpeza interna, mais depressa os resultados externos aparecerão: dinheiro, casa, apartamento, emprego, concurso público, o gerente liberar o cheque especial, pagarem o precatório, etc.
 Muitas vezes a pessoa emite uma onda contrária (onda escura) que paralisa o processo. Isto é o ego da pessoa dizendo que não quer mudança alguma na vida dela. Quer apenas os resultados sem mudar coisa alguma. Isto é, a pessoa quer magia. Uma força externa que faça o que ela quer sem necessidade de nenhuma mudança de paradigma. Como no caso da Ressonância Harmônica estamos falando de Física, existe um conflito de entendimento enorme neste caso. A Ressonância Harmônica é baseada na Mecânica Quântica. 
 O primeiro mês com a RH é muito fácil, porque os níveis profundos do subconsciente ainda não foram atingidos Então há um crescimento grande. Embora em algumas pessoas a limpeza no primeiro mês seja forte o suficiente para que o subconsciente ative a programação da sabotagem com toda a sua força. Esse programa são as crenças limitadoras recebidas na infância. As crenças do tipo: dinheiro é sujo, dinheiro é pecado, dinheiro não é tudo não, o rico não vai pro reino dos céus, a vida é difícil, etc.

No segundo mês normalmente é onde começa a aparecer com toda a força o programa da autossabotagem. Podem aparecer as somatizações, os problemas aumentam, perda de vontade de trabalhar, perda de vontade de exercitar-se, perda de vontade de estudar, só quer dormir, etc. Todo tipo de situação é criada para que a pessoa não enfrente as crenças. Não mude as crenças e comece a evoluir. Isso é muito interessante para a pessoa perceber que ela cria a sua própria realidade. Neste  ponto é preciso enfrentar isso com todas as forças da nossa determinação e continuar firme no processo.
 As pessoas dizem neste ponto que não está funcionando, que está fazendo mal, etc. Não entendem que é uma limpeza. Que o alicerce para um gigantesco crescimento está sendo erguido. Que sem limpar não há possibilidade de evoluir. É preciso mudar a frequência para que possa passar para o próximo nível. E com energias negativas não dá para mudar a frequência. É preciso limpar profundamente todos os corpos da pessoa. Se ela deixar o processo fluir naturalmente uma grande onda de felicidade virá em seguida. Um sentimento de consciência cósmica explodirá dentro de si. Um sentimento nirvânico. Sem fazer a limpeza não se chegará ao nível de manifestar a realidade com um único pensamento/sentimento. Não há como contornar isso. Não há jeitinho. Pode ser desconfortável, mas é imprescindível.

Hélio Couto

O Poder de soltar

Para acabar com a segregação racial nos ônibus o que Martin Luther King fez? Pararam de andar de ônibus. Soltaram os ônibus. Qualquer que seja a situação a coisa mais poderosa que se pode fazer é soltar.

O universo tem um fluxo de energia que faz com que tudo ande da melhor maneira possível se não houver interferência. A interferência é colocar pressão, ansiedade, força, resistência, etc. Interferir no fluxo natural das coisas. 

Quanto mais se coloca pressão para ter resultados, sejam quais forem, menor o resultado e pior também. O universo já tem um crescimento acelerado em todos os sentidos e acima de tudo é harmônico. 

Nesta série estamos explicando a ciência por trás do soltar. O porque soltar funciona. Não existe maior poder que isso. Porém, é preciso analisar para poder entender como aplicar o soltar em qualquer situação. É uma arte. A técnica é fácil de entender, mas a aplicação exige um refinamento de consciência para chegar no ponto certo. O ponto do “estado da arte” do soltar. O desapego total. O que Buda explicou pode mudar qualquer situação, resolver qualquer problema, etc. Buda vivenciou isso quando ele sentou debaixo da árvore e soltou o mundo. Depois de fazer um esforço monumental ele soltou o mundo. Nesse momento houve a iluminação. Quando ele se entregou, se rendeu. Isso não quer dizer não fazer nada. É exatamente o contrário. É a maior ação que uma pessoa pode fazer. A ação através da não-ação. O Taoismo puro. Fazer e soltar. O resultado virá o mais depressa possível. Fazer o máximo que puder e soltar. Deixar o universo resolver o que é preciso da melhor maneira possível.

Soltar envolve paciência para esperar de uma forma proativa. Continuar fazendo e soltando. Exatamente como aprender uma língua. Estudar e soltar. Um dia o subconsciente falará aquela língua. No momento certo. 

Soltar é uma coisa que está disponível para qualquer pessoa. Independentemente de qualquer condição. Todos os problemas seriam resolvidos se isso fosse entendido. Tanto nesta dimensão como em qualquer outra. Se tem uma coisa que vale apenas aprender na vida é o soltar. Todas as crianças deveriam aprender isso o quanto antes. 

Quantas economias estão estagnadas no mundo hoje? Décadas perdidas por absoluta falta de vontade de fazer o que tem de ser feito. Pura zona de conforto. Continuam fazendo o que não funciona, mas não mudam. A zona de conforto é a resistência ao soltar. Sair da zona de conforto e fazer mais é soltar. Soltar a zona de conforto e enfrentar o que tem de ser feito. Isso é soltar. As dívidas também estão neste contexto. Quantas dívidas são feitas porque não se solta? Se algo não funciona não adianta fazer dívidas para continuar fazendo o mesmo. Se soltassem aquela visão de mundo que não funciona o problema estaria resolvido. Continuar pensando em dívidas é não soltar. Soltar a dívida é pensar em ganhar e agir. Basta analisar cada problema ou objetivo que dá para ver o que é preciso soltar. A questão é fazer o que tem de ser feito.

Hélio Couto

Exercício para tentar enxergar auras

Método 1 – Fixe seu olhar em uma cartolina de cor azul por 5 minutos, evitando ao máximo piscar os olhos. Em seguida, olhe para a pessoa que deverá estar na frente de um fundo branco. Você verá a imagem da sua aura.

Método 2 – Esta técnica é bem simples pois você usará sua intuição. Coloque-se na frente da pessoa. Fixe seu olhar nos intercílios (entre os olhos). Conte até 5 e feche os olhos por alguns segundos. Depois, fixe sua atenção no alto da cabeça da pessoa que está na sua frente. Conte até 5 novamente. Feche os olhos e pergunte a si mesmo, mentalmente: “Qual a cor da aura que vejo?”.

Ambos os métodos requerem um certo avanço mental/espiritual da pessoa.

Entenda o significado das cores da sua aura:

  • Azul: capacidade de curar através das próprias energias mentais e espirituais; age sobre os outros de modo agradável e calmante; altos ideais de vida; sinceridade; tem o dom de usar as forças sobrenaturais.
  • Branco: pureza; amor ao próximo; perfeição. Uma aura que significa a luz da verdade e a luz elevada da consciência divina.
  • Branco-prateado: pessoas de espírito altamente evoluído; indica uma ampla abertura às forças cósmicas.
  • Cinza: ansiedade e timidez; autoestima deficiente; falta de coragem para assumir as próprias opiniões e expressá-las. Excesso de economia na vida diária.

  • Laranja/amarelo: capacidade de dar e receber; dotada de muita esperança; a saúde e a família desempenham um papel importante. Tem o dom de conviver em grupo harmoniosamente.
  • Preto: tendência para usar a sexualidade de forma instintiva. Também indica a ânsia de conhecimento, excesso de timidez e solidão.
  • Rosa: coração caloroso; amor ao próximo sem egoísmo; simpatia; gentileza; sensibilidade às vibrações das outras pessoas.
  • Turquesa: poder de expressão e criatividade na palavra, na arte e na comunicação; tem boa combinação de conhecimentos; percepção profunda e de rápida reação.
  • Verde: autoconfiança; capacidade de resolver problemas e de perdoar; enaltecedora da paz; muita sensibilidade.
  • Vermelho: ênfase no modo de vida material; sucesso alcançado através da dedicação pessoal completa; saúde física estável; tendência à irritabilidade quando contrariada.
  • Violeta/lilás: espiritualidade bem desenvolvida; inspirações criativas; capacidade de transformar os sofrimentos pessoais em fatores positivos para o próprio destino.

BANHO DE AÇÚCAR

Muitas pessoas não têm o conhecimento deste poderoso banho .


Este banho trás leveza no corpo, remove dores no corpo , remove cargas pesadas , abre caminhos no amor , saúde , dinheiro e Espiritualidade.
Este poderoso banho é cósmico então ele é um equilibrador logo após um banho de sal grosso .

COMO USAR O AÇÚCAR NO BANHO .

Leva 1 xícara de açúcar para o banheiro.


Toma seu banho normalmente.
Depois com o seu corpo molhado passa o açúcar do rosto aos pés como esfoliante.
Passa bastante nos pés , mãos e coluna .


Conforme vai passando você sentirá leveza . Sua energia passa a ficar leve .

Pode ser usado durante 7 dias seguidos.


Pode ser usado na quinta e domingo para atrair dinheiro .
Pode ser usado na sexta para atrair amor .
E na segunda-feira que é o dia da limpeza com o sal grosso pode ser usado o do açúcar depois do sal grosso .

DICA : Para quem precisa de dinheiro é só colocar um punhado de açúcar nas mãos molhadas e esfregar como se estivesse lavando as mãos e depois é só enxaguar .
Faça sempre este ritual e terão dinheiro .

Frequências Vibracionais promovem tanto a Cura como a Doença

Nos Estados Unidos descobriram surpreendentemente que, o que as células cancerígenas mais têm medo é de “amor”! O estudo descobriu que muitas pessoas estão doentes por falta de “amor!”

O Dr. David Hawkins é um médico muito conhecido nos Estados Unidos e já tratou muitos pacientes em todo o mundo. Ele disse que ao ver o paciente já sabe a causa da doença. Ele disse que seus pacientes não falam de amor, só falam de dor, de ressentimento, de frustração, o pacote inteiro está preso ao corpo do paciente. Dr. Hawkins disse: “Muitas pessoas ficam doentes porque não tem amor, só tem dor e frustração.

Pessoas com frequências de vibração abaixo de 200 hz, são fáceis de ficar doente.”

Frequência vibracional é comumente conhecida como o campo magnético. David Hawkins descobriu que as pessoas que estão doentes geralmente têm pensamentos negativos.

Com frequência de vibração acima de 200 hz, as pessoas não ficam doentes. Geralmente, seus pacientes têm frequência de vibração abaixo de 200 hz. Na méda mundial, 85% da população vive em uma frequência abaixo de 200 Hz. Apenas 15% vive acima de 200 Hz e apenas 5% acima de 350 Hz.

Quais são os pensamentos que têm frequências de vibração abaixo de 200hz? Pessoas que gostam de reclamar, culpar e ter ódio dos outros, a frequência é apenas cerca de trinta ou quarenta, quem constantemente acusa os outros, diminui uma grande quantidade de energia, de modo que a frequência de vibração fica abaixo de 200hz. Essas pessoas facilmente adquirem muitas doenças diferentes.

O índice de vibração mais alto é 1000 hz e o índice mais baixo é 1. Ele disse que neste mundo, a maior frequência de vibração que ele viu foi de 700 hz, a sua energia é particularmente suficiente, quando essas pessoas aparecem, podem afetar o campo magnético local.

Quando uma pessoa de alta energia aparece, a sua energia faz com que o campo magnético de todas as coisas se torne belo e pacífico, mas quando uma pessoa tem um monte de pensamentos negativos, ela não somente fere a si mesmo, mas o campo magnético que a circunda se torna ruim. Dr. Hawkins disse que ele testou milhões de casos e pesquisou diferentes raças ao redor do mundo. A resposta é a mesma. Enquanto a frequência de vibração for inferior a 200 hz, a pessoa está “doente”, pois não é a frequência correta de se viver. E poderá a qualquer momento desenvolver várias doenças e dores. Muitos não percebem, mas abaixo de 200 Hz a tristeza impera. Se for acima de 200 hz, não terão doenças.

Quais são os pensamentos acima de 200 hz? Gostar de cuidar dos outros, compaixão, amor, boas ações, tolerância, etc. Estas são frequências de alta vibração, atingindo de 400 hz a 500 hz. Em vez disso, como ódio, raiva, culpar, ressentimento, ciúme, ser exigente com os outros, as coisas egoístas, só consideram a si próprios, com pouca consideração pelos sentimentos dos outros, a frequência de vibração dessas pessoas é baixa. Estas vibrações de baixa frequência também levam ao câncer, causam doenças de coração e outras doenças. Ele nos disse que o pensamento, do ponto de vista médico, é realmente incrível, o pensando tem uma grande influência na saúde das pessoas.

O poder do amor. Depois que o violoncelista japonês Sean sofreu de câncer, ele tentou combater a doença, mas se sentiu cada vez pior. Ele ajustou sua mente e decidiu amar todas as células cancerosas de seu corpo. Ele considerou a intensa dor do câncer como um “serviço de despertar”, com bênçãos e gratidão. Ele achou isso bom. Então ele decidiu amar toda a vida, incluindo todos, tudo. Depois de um tempo, foi inesperado que todas as células cancerígenas tivessem desaparecido. Mais tarde, ele se tornou um conhecido terapeuta no Japão. Essa é a essência da vida – “amor”.

POÇÃO DA SEDUÇÃO

Ingredientes:
500 ml de vinho tinto seco;
200 ml de um chá feito com as seguintes ervas: cidreira, erva doce, canela e jasmim;
Meia maçã cortada em rodelas;
15 uvas roxas, de preferência, sem sementes;
Mel a gosto;
Os cristais: uma granada, uma rodonita e uma fluorita

Como fazer:
Faça esta poção numa das últimas noites de Lua Crescente pedindo que através dela cresça o seu poder de sedução. Coloque todos os ingredientes numa jarra de vidro e, no caso das frutas, dê uma leve amassada nelas num pilão. Deixe a bebida em descanso por uma hora e depois coloque-a na geladeira para conservar. A partir da entrada da Lua Cheia, comece a ingeri-la pelo menos duas vezes ao dia. Faça isso durante as três primeiras noites de Lua Cheia, mentalizando aquilo que deseja. Boa sorte!