Horóscopo 2020 para Escorpião: sua vida amorosa

Comprometido, depois de alguns questionamentos, parece que você decidiu assumir suas responsabilidades e se comprometer mais. Projetos em comum, uma mudança de estilo de vida, a oficialização de sua união estão no ar. Solteiro, a vontade de entrar em um relacionamento é sentida, mas você não tem muita certeza. Você se perguntará se prolongar seu celibato não é a melhor opção para se dedicar a sua carreira com total liberdade e continuar flertando da forma que você achar melhor. Cabe a você escolher aquilo que corresponde mais com seu ideal.

Amor: tempo de refletir
Suas trocas serão influenciadas em 2020 por um redesenho de seus princípios e por uma expressão de si mesmo que poderá surpreender algumas pessoas. Você tem passado por uma fase de evolução que permite que você consiga se fazer entender e se dirigir aos outros de maneira mais autêntica. Amplie seus horizontes pessoais, melhore comunicação e desenvolva seu desejo de aprender mais sobre si mesmo, amigo Escorpião, e sobre as pessoas com quem convive, o que lhe trará satisfação.

Vênus o ajudará a manter ou a restaurar a harmonia em família no início do ano (até o dia 13 de janeiro), reforçando seu desejo de amar e de estar presente, entre os dias 7 de fevereiro e 5 de março. Abra alas para o diálogo entre os dias 5 de março e 3 de abril. Entre os dias 3 de abril e 7 de agosto, Vênus poderá exaltar suas necessidades afetivas e sensuais, mas ao mesmo tempo o incentivará a rever suas prioridades e fazer a escolhas importantes no amor. Você terá projetos mais precisos e mais numerosos entre os dias 2 e 28 de outubro e entre os dias 21 de novembro e 15 de dezembro, Vênus estará presente em seu signo, anunciando o início de um novo ciclo de expansão. Você poderá terminar o ano em grande estilo e apaixonado.

1º decanato (24 de outubro – 3 de novembro): será hora de romper com o passado
Desde 2018, Urano vem despertando em você uma necessidade de viver seus relacionamentos emocionais de outra maneira, o que inclui a possibilidade de se livrar de hábitos que não são mais apropriados porque o aprisionam e restringem sua liberdade de expressão no amor. Você poderá ser tentado a romper uma relação ou a quebrar um contrato, por pensar que pode conseguir algo melhor em outro lugar ou poderá sugerir ao parceiro de revisar o relacionamento, pensando-o de outra maneira, mais flexível e livre. De dezembro de 2019 a 15 de janeiro de 2020, você poderá contar com Júpiter para ampliar as possibilidades e para oferecer algumas oportunidades para se abrir para planos diferentes e mais agradáveis.

No entanto, você terá que tomar escolhas e assumir responsabilidades, aplicando-as no plano familiar, porque entre os dias 22 de março e 2 de julho e depois a partir de 17 de dezembro de 2020, Saturno pedirá que você preste as contas. Será então questão (especialmente por volta do dia 21 de dezembro) de traçar um roteiro sólido e de se comprometer (ou de renovar os votos) a longo prazo. Vênus exaltará seu poder de sedução e fará você brilhar entre os dias 13 e 22 de janeiro, favorecendo suas trocas entre os dias 5 e 14 de março. Questionamentos e desafios não deverão ser evitados entre os dias 3 e 15 de abril e entre os dias 9 de junho e 11 de julho. Projetos importantes para você virão à tona e você não hesitará em começá-los entre os dias 2 e 11 de outubro. No final do ano (entre os dias 21 e 29 de novembro), Vênus se apresentará em seu decanato, convidando-o a abrir uma nova página em sua vida, integrando escolhas e decisões tomadas em 2020.

2º decanato (4 – 13 de novembro): a corrente fluirá muito bem!
Você provavelmente passou por um ano difícil em termos de comunicação com as pessoas mais próximas a você. Você terá que ajustar de uma maneira ou de outra as bases nas quais suas trocas se baseavam, a fim de fazer você se sentir mais alinhado com quem realmente é. Você provavelmente será mais capaz de respirar em 2020 quando Saturno finalmente se afastar. Júpiter felizmente assumirá seu decanato entre os dias 15 de janeiro e 3 de março e novamente entre os dias 2 de agosto e 24 de outubro. Será a oportunidade de se reconectar com mais leveza e alegria através de uma compreensão mais ampla do que move seus relacionamentos. Você poderá então contar com sua nova mente aberta para aquecer sua história de amor (ou com seus filhos), estreitando os laços com aqueles que contam com você e porque não para alcançar uma melhor forma de lidar com as emoções por volta dos dias 20 de fevereiro e 12 de outubro. Você terá momentos favoráveis para ficar em sintonia com seu parceiro, mas não somente isso. Entre os dias 5 de julho e 26 de setembro, no entanto, esteja atento às mensagens que Urano poderá lhe enviar e que serão esclarecidas no próximo ano. Você sentirá um desejo de renovar seu romance, trazendo mais fantasia aos seus relacionamentos românticos. Seja como for, Vênus lhe dará todos os encantos entre os dias 22 e 30 de janeiro e o convidará a dar um passo em direção ao outro entre os dias 14 e 24 de março. Reserve um tempo para pensar sobre o que você espera e o que está pronto para dar entre os dias 15 de abril e 3 de maio, entre os dias 22 de maio e 9 de junho e entre os dias 11 e 26 de julho. Você estará ansioso para começar o futuro entre os dias 11 e 19 de outubro. Entre os dias 29 de novembro e 7 de dezembro, Vênus o convidará a começar um novo ciclo de expansão no amor.

3º decanato (14 – 22 de novembro): melhore sua comunicação!
Uma pequeno clima de tempestade no ar e um ano que abre um capítulo um pouco sensível em termos de comunicação com as pessoas próximas a você? Por volta de 12 de janeiro, de uma forma ou de outra, um modo de operação que não funciona mais será deixado para trás, para dar lugar a uma abordagem nova e mais saudável do relacionamento com os outros. Em todo caso, enfrente os problemas recorrentes que o impedem de se expressar abertamente. Conte com Júpiter entre os dias 3 de março e 2 de agosto e depois entre os dias 24 de outubro e 19 de dezembro fazer transformações positivas em suas trocas com o mundo exterior. Você terá a mente aberta (e o coração também) o que poderá ajudá-lo a reprogramar melhor seu relacionamento. Você também terá a oportunidade de criar laços calorosos (no amor também!) por volta dos dias 5 de abril, 30 de junho, 27 de julho e 12 de novembro. Vênus também aquecerá o clima entre os dias 30 de janeiro e 7 de fevereiro, quando lhe encherá com uma aura irresistível, e entre os dias 24 de março e 3 de abril, quando o incentivará a parar de se isolar. Entre os dias 3 de maio e 22 de maio, entre os dias 26 de julho e 7 de agosto, seus desejos serão exaltados, mas não deixe de manter um olho crítico no relacionamento. É aquela velha história de saber onde você está e o que realmente deseja e de ser capaz de abrir o futuro de acordo com as suas expectativas entre os dias 19 e 28 de outubro e no final do ano. Comece um novo ciclo de expansão emocional confiante de suas escolhas (entre os dias 7 e 15 de dezembro).

Meu conselho:

Será um ano em que todos terão a oportunidade de pensar nas trocas, refletindo mais sobre quem é. Permita-se se fazer entender pelas pessoas com quem convive e depois se desenvolva completamente e sem fazer concessões que não estão ao seu alcance. Conte com a situação perfeita que o ajudará a dar um passo em frente para ter mais autenticidade em seu relacionamento, mas também para oferecer ótimas oportunidades para se divertir. Seja no amor, nas amizades ou nas relações sociais, todas as suas relações deverão se abrir mais amplamente a mundos que enchem sua mente, sua curiosidade e seu coração. Portanto, não hesite e esteja alerta.

Por Andréia

Horóscopo 2020: Astrólogo Joseph Polansky aponta previsões para cada signo

Autor do livro ‘Seu horóscopo pessoal para 2020’, explica como a astrologia pode ajudar a aproveitar ao máximo o ano que vem

Astros, planetas, Mercúrio retrógrado, fases da Lua, signo solar, ascendente, mapa astral, karma, horóscopo. São muitos os substantivos e significados que envolvem a astrologia, e maior ainda a curiosidade em torno do assunto. A poucos meses da virada do ano, começam a chegar às livrarias exemplares com tendências e previsões para o período que se aproxima. Entre eles, Seu horóscopo pessoal para 2020, do astrólogo norte-americano Joseph Polansky.  


Com mais de duas décadas de experiência e muitos livros publicados, Polansky escreve, desde 1996, um guia para curiosos e amantes da astrologia. Ele reúne desde um pequeno glossário até uma previsão mensal para cada signo em 2020. “O livro dará ao iniciante maneiras viáveis de usar a astrologia em sua vida cotidiana”, comenta. Cada capítulo, o autor inicia com uma descrição do perfil pessoal, em seguida, explica sobre as tendências gerais do ano, com detalhes sobre finanças, carreira, amor e família, para então passar aos meses e às indicações de melhores dias e dias mais tensos.


Aos que desejam começar 2020 alinhado com os astros, o astrólogo adianta: Áries colherá os frutos da dedicação à carreira; quem é de Touro pode esperar um ano empolgante e imprevisível, que trará mudanças inesperadas na vida; Gêmeos estará particularmente interessado em sexo, transformação pessoal e espiritualidade; os que nasceram sob o signo de Câncer terão um ano muito interessante, porém turbulento; Leão continuará em boa fase na vida profissional.


Para quem é de Virgem, 2020 será um ano para curtir a vida com mais entusiasmo; muitas mudanças na trajetória profissional acontecerão este ano para quem é de Libra; o ano de Escorpião vai ser desafiador no campo do amor; as características energéticas de Sagitário estarão atenuadas; Capricórnio terá um ano próspero, ótimo para colocar o corpo e a imagem em forma; quem é de Aquário estará voltado para o crescimento e desenvolvimento espiritual; aqueles que nasceram em Peixes terão sua criatividade muito estimulada pelos seis eclipses que ocorrerão em 2020.


O astrólogo respondeu sobre o método de estudo e deu algumas dicas para quem quer alinhar os planos para a virada do ano com os astros e planetas:


Como fazer uso das influências planetárias para aproveitar ao máximo o novo ano?

Existem muitas maneiras pelas quais a astrologia pode nos ajudar na vida cotidiana. Não consigo pensar em nenhuma disciplina que possua esse tipo de poder.

Por exemplo, se sabemos que Mercúrio é retrógrado (retrocedendo), podemos evitar a assinatura de contratos ou de fazer grandes compras nesse período. Usaremos esse período para negociações, mas não para finalizar as coisas. Outro exemplo, se Júpiter estiver apresentando bons aspectos em seu planeta financeiro, convém investir algum dinheiro em uma loteria ou em algum outro investimento. Isso não garante que você vencerá, mas melhora suas chances. Muitos outros fatores interferem em você ganhar na loteria ou ter um bom rendimento nos investimentos. Se os planetas estão estressantes para você em um determinado dia ou período da sua vida, é uma boa ideia descansar mais ou fazer um cronograma mais reduzido. Em geral, quando a Lua está crescente, é bom para iniciar novos projetos.

Um casamento ou uma mudança para um novo lar sempre deve ser feito quando a Lua está crescente. Quando a Lua está minguante, é bom para finalizar projetos antigos. A Lua crescente é boa para o plantio, ela minguante é boa para a colheita. Isso se aplicaria aos nossos investimentos também. Se você está economizando ou investindo, é bom fazê-lo em uma Lua crescente. Se você está pagando dívidas ou outras contas, é bom fazê-lo na Lua minguante. Estes são apenas alguns exemplos de como a astrologia pode nos ajudar a aproveitar ao máximo nosso ano e nossas vidas. Existem muitos outros exemplos.

Você percebe alguma diferença na receptividade do público ao longo dos anos em matéria de astrologia? No Brasil, notamos um maior interesse público, a que você acha que isso se deve?

A astrologia sempre foi o principal fluxo de ensino — por milhares de anos.De fato, era um requisito que todos os médicos conhecessem Astrologia. Foi somente nos anos de 1700, com o advento do chamado esclarecimento, que a astrologia foi banida das universidades e dos círculos científicos. Antes 1700, não havia diferença entre astronomia e astrologia. Se você era astrônomo, era astrólogo. E vice-versa. Após esse período, as duas disciplinas se separaram. Os astrônomos podem dizer quantas coisas os astrólogos dizem, somente fornecem os dados superficiais. O astrólogo não está muito interessado quando ocorre um eclipse ou se este Sol está em uma posição ou outra. O astrólogo está interessado no que essas coisas significam.


Como esses fenômenos celestes nos afetam na Terra?

Nos tempos modernos, a astrologia aumentou e diminuiu em popularidade. Na década de 1960, por exemplo, era muito popular.Depois, diminuiu. Desde a virada do século, tornou-se mais popular. Tradicionalmente, as verdades da astrologia nunca poderiam ser verificadas em laboratório. Simplesmente, porque não tínhamos tecnologia para fazer isso. Mas agora, com o advento do biofeedback, dos exames cerebrais e da física quântica, essas coisas em breve serão comprovadas cientificamente. Então, espero que a Astrologia se torne ainda mais popular.


Como você faz previsão para o próximo ano? Como esse tipo de estudo funciona?

Eu lancei um horóscopo para o ano como um todo. Neste horóscopo, insiro todos os vários fenômenos planetários que ocorrerão — por exemplo, o movimento dos planetas, o Mercúrio retrógrado, os eclipses e outros fenômenos. Feito isso, podemos ler as tendências de cada um dos signos. O mesmo é feito mensalmente, o que mostrará as tendências do mês em questão. A configuração desses horóscopos talvez seja mais demorada do que a escrita real.Uma vez que você faz o “dever de casa”, a escrita flui com bastante facilidade. Eu me atenho estritamente ao que o horóscopo mostra.


Quanto o mapa astral de uma pessoa pode interferir nas previsões e tendências que você faz?

Neste livro, lidamos apenas com um fator — o signo solar de uma pessoa. Isso é preciso até o momento. Mas em um horóscopo real, há mais fatores do que apenas o Sol — existem nove outros planetas e há o ascendente e o meio do céu. Portanto, o horóscopo individual de uma pessoa (criado especificamente para a pessoa, para sua data, horário e local de nascimento) pode modificar o que dizemos no livro. É por isso que é sempre melhor ter seu astrólogo pessoal, que analisará todas essas coisas. Um horóscopo pessoal pode ser caro — especialmente se for feito da maneira certa — e muitos não podem pagar. Este livro é a próxima melhor coisa. Se um leitor conhece o seu signo ascendente, sugiro fortemente que leia os relatórios não apenas do signo solar, mas também do signo ascendente. Ele provavelmente terá uma melhor noção das coisas.


Como a tecnologia influencia as previsões?

A tecnologia não influencia as estrelas. De fato, o inverso é verdadeiro. As estrelas influenciam a tecnologia. A tecnologia desempenha um papel na astrologia apenas porque, com muitos programas de computador disponíveis, somos capazes de elaborar mapas muito rapidamente e também ver muitos pontos que eram impossíveis de serem vistos antes do advento dos computadores. Quando comecei, não havia computadores. Fazíamos tudo à mão. Lançar um horóscopo simples levaria horas. Hoje, é feito em segundos. Portanto, temos mais tempo para investigar as sutilezas em um horóscopo.


Qual planeta regerá o ano de 2020 e o que isso significa?

Não existe um planeta específico que rege o ano. No entanto, no próximo ano, no qual o signo de Capricórnio será ultraforte, poderíamos dizer que Saturno, o governante de Capricórnio, será o planeta dominante em 2020.
Seu horóscopo pessoal para 2020De Joseph Polansky. Tradução: Patrícia Azeredo. Edidora BestSeller Grupo Editorial Record Número de páginas: 416. Preço sugerido: R$ 44,90.

Por Roberta Pinheiro

Desvendando o Escorpião

Escorpião talvez seja um dos signos mais fetichizados, para o bem e para o mal, nas leituras mais corriqueiras e memes de toda sorte. Antes de comentar um pouco sobre, a gente relembra algo que, pro tipo de Astrologia que praticamos aqui é fundamental: signo não faz nada. Signo é cenário, território, disposição e contexto para ação dos Planetas.  

Assim sendo, vejamos como os planetas se comportam aí: Marte está em casa. É o planeta regente de Escorpião: o significador universal das guerras, da violência, cortes, sangue derramado, atividades físicas tem ali seu domicílio noturno. A intensidade do ferrão e a potência de seu ataque, certeiro e profundo. Ao mesmo tempo é nesse cenário que Vênus tem seu exílio. Ela que versa sobre beleza, harmonia, prazer, sexo, amor e gozo não se sente nada confortável com o ambiente de intensidade fixa das águas profundas de Escorpião, que desconhecem limites quando obstinadas. É também essa fixação e insistência que conferem à Lua, senhora das nossas emoções, doadora de vida, responsável pela nossa saúde mental e nosso humor, a debilidade da queda.

Marte é senhor do ferro e da forja, com a qual só se trabalha nos extremos das temperaturas. A força de Escorpião está na capacidade de suportar a dor ao mesmo tempo em que existe a vontade de insistir no desejo e no gozo. Mas um gozo que se exalta nas águas de Peixes, que são dadas ao movimento, e às emoções mais sutis, não menos avassaladoras, mas sobretudo expansivas. O gozo em Escorpião é uma questão muito mais de disputa, que submete o corpo e não o contrário; enquanto, por exemplo, em Touro, domicílio de Vênus, o sexo é a delícia da carne e das sensações.

É recorrente a associação imediata dos signos com as casas a contar da I como o primeiro signo. de forma que Escorpião seria a casa VIII. Apesar de algumas semelhanças entre algumas casas e signos, se contados dessa forma, não julgamos aqui que essa seja uma relação que se aplique. De modo que atribuir a Escorpião os assuntos de casa VIII automaticamente não exatamente clareia, mas pode mesmo é confundir. E se o assunto é casa, cabe lembrar algo caro à tradição: SEXO é assunto de casa V, não de casa VIII. Casa V, onde Vênus se jubila duplamente. Casa VIII é a casa da Morte.
Se olharmos o caráter puramente físico do ato sexual, o entrelaçar dos corpos, podemos enxergar então uma faceta marciana, mas o gozo e o prazer, são venusianos. Logo, essa hiper sexualização do signo não faz muito sentido.

Na verdade, até me incomoda pensar nas relações sociológicas que a associação do sexo com Marte e não com Vênus desencadeiam, pensando no mundo em que a gente vive. Seja no que tange à opressão à sexualidade feminina e a super valorização do falo e o entendimento limitado de que sexo resume-se à penetração. Marte é o senhor da violência. Sexo é gozo, é sutileza. É possível sentir muito prazer através de embates agressivos dos corpos – quem sou eu pra julgar ou moralizar isso!, mas o grande problema de pensar o sexo dessa forma é tirar dele a sutileza das sensações, da leveza dos toques. Sexo é escolha, proporcionar prazer é saber tocar e trocar, é descobrir o momento, saber a hora de parar e prosseguir, afinal, o outro domicílio de Vênus é justamente a exaltação de Saturno: limite, tempo e ponderação libriana.

isabela morais