Tārā Pravīrā

Tara Pravira, ou a ‘Estrela Heróica’ é a primeira forma dada a Deusa Tara no que é chamado Louvores às Vinte e Uma Taras, um texto tântrico em vinte e sete versos, dedicados à Deusa.

➜ Portuguese and English

Tara Pravira, ou a ‘Estrela Heróica’ é a primeira forma dada a Deusa Tara no que é chamado Louvores às Vinte e Uma Taras, um texto tântrico em vinte e sete versos, dedicados à Deusa.
Os primeiros vinte e um versos do Louvor evocam Tara, usando os três epítetos que também formam o núcleo de seu mantra raiz (oṃ tāre tuttāre ture svāhā). Estes três são Tara (Libertadora), Tuttara (Salvadora) e Tura (Rápida). Os vinte e um versos são uma homenagem a Tara e uma descrição poética de suas características físicas, posturas, qualidades, habilidades, mantras e gestos com as mãos. Os seis versículos restantes descrevem como e quando o louvor deve ser recitado e os benefícios de sua recitação.

Tārā Pravīrā – Deusa Tara, a heróica. (Coleção 21 Deusas Taras, Iconografia por Dzongsar Khyentse Rinpoche, Artista indiano VV Sapar.)

Assim começa o texto:

“Om, eu me prostro para a enobrecedora e impecável senhora, altamente realizada Arya Tara.”

‘1- Louvo-te! Ó Tara, TURE, heróica e veloz, cujo olhar, como um raio, brilha num instante; dama que nasceu das anteras abertas da face de lótus do Guardião dos três mundos (Avalokiteśvara).’

Tara Pravira é uma forma guerreira da Deusa, assemelhando-se as Deusas Durga ou Katyayani.
É a forma da eficiência e destreza.

❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️❇️

🌟Tārā Pravīrā 🌟

↪️Image: Tārā Pravīrā – Goddess Tara, the heroic.
Iconography by Dzongsar Khyentse Rinpoche.
21 Taras by Indian artist VV Sapar.

Tara Pravira, or the ‘Heroic Star’ is the first form given to the Goddess Tara in what is called Praise to the Twenty-One Taras, a twenty-seven-line tantric text dedicated to the Goddess.
The first twenty-one verses of praise evoke Tara, using the three epithets that also form the nucleus of his root mantra (oṃ tāre tuttāre ture svāhā). These three are Tara (Liberator), Tuttara (Savior) and Tura (Swift One). The twenty-one verses are a tribute to Tara and a poetic description of her physical characteristics, postures, qualities, abilities, mantras and hand gestures. The remaining six verses describe how and when the praise should be recited and the benefits of its recitation.

Thus begins the text:

“Om, I bow to the ennobling, impeccable, highly accomplished lady Arya Tara.”

‘1- I praise you! O Tara, TURE, heroic and swift, whose gaze, like lightning, shines in an instant; lady born from the open anthers of the lotus face of the Guardian of the three worlds (Avalokiteśvara). ‘

Tara Pravira is a warrior form of the Goddess, resembling the Goddesses Durga or Katyayani.
It is the form of efficiency and dexterity.